Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Tristeza...

Imagem de Nanã Sousa Dias

Não sei de onde vem está tristeza que me prende a alma. Não sei explicar porque choram os olhos, as lágrimas que a chuva teimou em trazer. Porquê ficar presa em um sonho que se acaba mesmo antes de começar?

 

Quero naufragar no meu mar de sentidos, afogar as ilusões, desistir de navegar contra as marés que só me afastam para destinos inventados, longe de uma realidade que dói, que magoa, sempre que o pensamento voa…

 

Não quero mais lutar contra ventos contrários que gritam em meus ouvidos que nada tenho… desisto… Desisto das batalhas que o coração muitas vezes travou com a razão.

Desisto e sigo ao sabor da brisa, fingindo sorrisos, escondendo lágrimas nas águas de um oceano de sentidos…

 

Que se afogam os desejos, os sonhos e as vontades e que nesta dor que não pára, que renasce a única razão de eu aqui estar…quem de verdade sempre me amou!

 

Hoje, o mar é apenas o refúgio de uma dor. Já não há ondas que beijam a areia, nem gaivotas que cantam sonhos… Apenas sal de lágrimas caídas e ilusões perdidas…

 

Afinal sei de onde vem essa tristeza… vem de um amor que um dia inventei!

 


Escrito da alma: Madalena às 16:04
De Coraçao de gelo a 5 de Maio de 2007 às 07:14
Um dia a maioria de nos ira separar-se. Sentiremos saudades de
todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos
sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos.
Saudades, ate dos momentos de lagrimas, da angustia, das vEsperas
dos finais de semana, dos finais de ano, enfim... do companheirismo
vivido. Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.
Hoje n tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai para
seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a
sua vida. Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe...nas
cartas que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas
tolices...AI, os dias vAo passar, meses...anos... atE este contacto
se tornar cada vez mais raro. Vamo-nos perder no tempo.... Um
dia
os nossos filhos verAo as nossas fotografias e perguntarAo kem
sAo aquelas pessoas?
Diremos...que eram nossos amigos e...... isso vai doer tanto!
-Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da
minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar vontade de
ligar, ouvir aquelas vozes novamente...... Quando o nosso grupo
estiver incompleto... reunir-nos-emos para um Ultimo adeus de um
amigo. E, entre lAgrimas abracar-nos-emos. EntAo faremos promessas
de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um
vai para o seu lado
para continuar a viver a sua vida, isolada do
passado. E perder-nos-emos no tempo.....Por isso, fica aqui um
pedido deste humilde amigo: nAo deixes que a vida passe em branco,
e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes
tempestades....Eu poderia suportar, embora nAo a dor, que
tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se
morressem todos os meus
amigos!


De Anónimo a 9 de Junho de 2007 às 12:33
o meu nome é Mafalda e ao visitar o blog da Madalena - o texto dela é lindo como sempre, este tocou-me particularmente (como sempre Obrigada Madalena) - estive a ler os comentários e li o seu. O texto dela é Maravilhoso e nos deixa encantados, o seu comentário é verdadeiro, real e é assim mesmo que tudo se passa. Muitas vezes me interrogo porquê? Será que poderíamos fazer alguma coisa para alterar o curso da realidade? Tudo dependeria de todos nós!
No entanto, eu, que certamente sou muito mais velha que você e já tenho nas minhas recordações a experiência que relata, acho que posso dizer-lhe que é simplesmente a VIDA! Vida que nos leva por caminhos que não foram os que desejámos, sonhámos ou mesmo aprendemos! De coração de gelo não tem nada! Tente, se puder, inverter a marcha dos acontecimentos e me desculpe por lhe escrever. Foi sem má intenção, apenas não resisti!


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.posts recentes

. Uma outra vida...

. Minha despedida...

. Sou Outono...

. A oitava maravilha do "no...

. Liberta-me, mas...fica...

. Todas as dores...

. Paz é tudo o que peço...

. Lamento...

. Vives em minha saudade...

. Sou o que sou...

. Chuva...

. Eu...

. Lagrimas...

. Em tuas mãos...

. Mãe...

. Beija-me...

. É teu...

. Asas de sentimento...

. Desisto...

. Beijo-te suavemente...

.arquivos

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004