Sábado, 17 de Junho de 2006

No teu silêncio...

O silêncio ecoa nas palavras ditas ao vento. Naquelas que o tempo não apaga e naquelas que os pássaros usam como melodia. Silêncio em meus lábios que te beijaram nas sílabas que formaram o sentimento mais bonito que há…
 
Não há som que afasta a solidão em que o silêncio me envolveu. Vazio da alma que se estende até um horizonte onde não te vejo…onde não te ouço! Nasce na pele a tua ausência e na voz a falta de teu sorriso…
 
Caminho sozinha, olhar perdido nos sítios onde nunca estivestes, onde nunca vais estar. Lugares de emoções e pensamentos de suave ternura que tenho inventado, onde eu sabia que estarias…no meu coração!!
 
Canto baixinho, para as pedras da rua, que parecem ser as únicas a entender minha alma quebrada, uma melodia esquecida pelo tempo mas que sempre esteve na garganta… Stand by me…
 
Perdi o sentido que sempre me guiou, perdi a doce sensação de estar contigo, mesmo longe de ti…
 
Caminho sozinha, no silêncio e na ausência em que minha alma se perdeu sem ti!

Escrito da alma: Madalena às 14:48
| Comenta aqui
11 comentários:
De Anónimo a 18 de Junho de 2006 às 17:47

É preciso coragem...
Pra viver a vida,
pra curar as feridas,
pra existir.
É preciso coragem
pra comprar passagem,
pra seguir viagem,
pra sorrir.
É preciso coragem
pra amar,
pra chorar,
pra sofrer,
pra desejar.
É preciso coragem
pra lutar,
pra perder,
pra ganhar.
É preciso coragem
pra construir,
pra persistir,
pra conquistar.
É preciso coragem, é preciso sim,
pra parar,
pra pensar,
pra aceitar
que eu tive coragem, de ser feliz!










De Noite a 19 de Junho de 2006 às 12:51
Muitas vezes, julgamo-nos sós porque no percurso percorrido apenas vemos as nossas pegadas, é preciso estamos alerta, pois alguém pode estar carregando-nos ao colo.


De Ni a 19 de Junho de 2006 às 15:35
Como eu intendo este teu texto...
Belissimo!!
Bj*


De C. a 19 de Junho de 2006 às 18:18
Só há alma perdida quando não há esperança de ser encontrada... e a esperança não morre... e a alma não se perde.

Só há ausência quando não há esperança do reencontro... e o reencontro é real... e não há ausência.

Só há silêncio quando não há esperança de palavras... e as palavras não existem só faladas (existem escritas, pensadas, sonhadas)... e não há silêncio.

"...Com que palavras
ou beijos ou lágrimas
se acordam os mortos sem os ferir,
sem os trazer a esta espuma negra
onde corpos e corpos se repetem,
parcimoniosamente, no meio de sombras?

Deixa-te estar assim,
ó cheia de doçura,
sentada, olhando as rosas,
e tão alheia
que nem dás por mim."

(Eugénio de Andrade - excerto)

Beijo-te...


De aminhoca a 19 de Junho de 2006 às 19:41
Óh Madalena...andas sózinha com tanto roedor e com tanta minhoca á tua volta!!!! Como é possível tamanha ingratidão...chuif, chuif. Um beijo alambuzado e cheio de baba aqui da minhoca da selecção...


De Mico a 20 de Junho de 2006 às 09:25
Não podia imaginar que logo pela manha de hoje, iria ler algo que me diga tanto, foi o meu espelho onde vi espelhagem a minha imagem de alguem tb que caminha sozinho com a ausencia...Beijinhos doces


De Noite a 22 de Junho de 2006 às 11:53
O vazio deixado pela partida de alguém, é sempre imenso. Mas a alma contrai-se em espasmos de silêncio e um dia ajustar-se-á a uma nova dimensão.


De Kita a 23 de Junho de 2006 às 11:30
Quando estamos em solidão interior connosco mesmos, tudo nos parece em silêncio, ainda que os sons ecoem por todo o lado. Se a nossa alma está só, tudo se transforma em nada, em pedras do caminho...

Um beijinho na tua alma.
Kita


De PAULA NOGUEIRA a 23 de Junho de 2006 às 13:46
Madalena, adoro o teu blog, sou uma das muitas pessoas que passa por ele e não comenta porque simplesmente a enormidade do teu fado e a beleza com que tu o apresentas me deixam sem palavras... só de ler os teus posts e de ouvir a tua música dou outra importãncia à vida e aos que me rodeiam e penso que é tudo mesmo muito efémero... confesso que a última música que tu apresentavas me dizia mais do que esta, esta de certeza te toca mais a ti... basta falar dos anjos cuja companhia tu tanto aprecias... Tenho um mail paula_nogueira23@yahoo.com.br e gostava de receber notícias tuas, s m podesses enviar a antiga música ou então dizer quem a canta já me era de muito agrado! Cumprimentos
Paula Nogueira


De Juda a 23 de Junho de 2006 às 14:02
Não andas sózinha!!!!!!! e o silencio é uma coisa natural e que faz parte da vida, por vezes não é silencio é um agora não posso, tenho a certeza que está tudo bem...


Comentar post

.Meu selo...


fg.jpg


.Meu outro blog


Image Hosted by ImageShack.us

.Outro Blog Meu


Image Hosted by picoodle.com

.posts recentes

. Uma outra vida...

. Minha despedida...

. Sou Outono...

. A oitava maravilha do "no...

. Liberta-me, mas...fica...

. Todas as dores...

. Paz é tudo o que peço...

. Lamento...

. Vives em minha saudade...

. Sou o que sou...

. Chuva...

. Eu...

. Lagrimas...

. Em tuas mãos...

. Mãe...

. Beija-me...

. É teu...

. Asas de sentimento...

. Desisto...

. Beijo-te suavemente...

.arquivos

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.Meu contador de visitas...