Quarta-feira, 3 de Novembro de 2004

Amiga...

Deixa-me ser tua amiga, amor,
A tua amigasó,já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor,
A mais triste de todas as mulheres.


Que só, de ti, me venha a mágoa e dor
O que importa a mim? O que quiseres
É sempre um somho bom! Seja o que for,
Bendito sejas tu por mo dizeres!


Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...


Beija-mas bem!... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos,
Os beijos que sonhei prá minha boca!...


Florbela Espanca


Escrito da alma: Madalena às 18:49
| Comenta aqui
1 comentário:
De Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 17:09
Madalena!
Eu quero agradecer-te amiga, enquanto te escrevo estas letras ao som desta música k tens no teu blog. É simplesmente impressionante como a leitura se complementa com a Música.
Obrigado amiga! por me dares esta oportunidade de sentir a tua alegria e a tua tristeza. Estou emocionado deveras pork deves ser uma mulher de coração muito grande! Bem haja puder viver para poder sentir a poesia do povo! Perdoa-me mas tenho k terminar a minha emoção se sobrepõe ao razoavel. BJNHS deste teu amigo virtual, mas reconhecido por aquilo k me dás k é sublime!
Zezinhozezinho
</a>
(mailto:josetmota@netcabo.pt)


Comentar post