Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2006

No meu olhar...

olhar33.jpg 


No meu olhar nasceu o verde da esperança, salpicando o castanho claro que
sempre o pintou. O Outono ganhou as cores de uma primavera anunciada e fez a
alma desabrochar em mil tons alegres. O sol brilhou e os pássaros cantaram
melodias que embalaram o coração. Cada aurora tinha a magia de um novo dia e
o ocaso trazia com ele a certeza de um sonho!!


No meu olhar nasceu a luz do teu, que iluminou os caminhos por onde andava
perdida. Luz brilhante que me aqueceu a alma e a fez acordar ao som de um
sorriso. Pequenos raios de sol que bordaram os pensamentos com linhas de
suaves emoções, de doces sentidos!!


No meu olhar...


No meu olhar nasceu um pôr-do-sol que de novo fez sobressair as tonalidades
suaves de meu sentir. Ao beijar o mar, o sol cantou a melodia que sempre
embalou minha alma. As cores da melancolia, o som da saudade...  No horizonte,
ficou o sonho, preso num fim do mundo que sempre me encantou.


Neste meu olhar, que o sonho recusa pintar... Neste meu olhar que continua
salpicado de verde, na esperança de uma primavera anunciada!


Escrito da alma: Madalena às 10:17
| Comenta aqui
11 comentários:
De Anónimo a 10 de Fevereiro de 2006 às 11:21
Madalena:assim como tantas outras pessoas, descobri seu blog por acaso e fiquei imediatamente encantada!!!Seu olhar é doce suave e verdadeiro.Gostaria de saber quem é o grupo ou pessoa q canta a musica no teu blog?Se puder mandar pro meu email ficarei mais feliz do q já estou,por ter conhecido seu blog.Bárbara
(http://barbara)
(mailto:bah_predebon@yahoo.com.br)


De Anónimo a 10 de Fevereiro de 2006 às 09:36
Bela imagem!PDivulg
(http://www.lacosazuis.blogs.sapo.pt)
(mailto:pdivulg@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Fevereiro de 2006 às 02:50
O teu olhar prefundo que já viu tanto e já se perdeu tantas vezes...no misterioso caminho do destino. P.S. - O Castor nunca se esquece da ruiva. A ruiva é que anda a desviar o olhar para outras paragens...um grande chuac deste teu amigo castor oleoso e feioso mas que gosta de ti!.Castor
(http://diquedocastor.blogs.sapo.pt)
(mailto:diquedocastor@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Fevereiro de 2006 às 10:54
"O sol entra pela tua janela e repousa na tua face"
Beijinhos muitos para tiIsa
(http://singular.blogs.sapo.pt)
(mailto:singularidade@sapo.pt)


De Anónimo a 8 de Fevereiro de 2006 às 21:40
A vida é um sonho e todos nós pertencemos desse sonho. Sonhamos o que queremos e o que não queremos. Atingimos os nossos objectivos, conseguimos alguns dos nossos sonhos e, por vezes, vivemos grandes pesadelos. A força tem que nascer da esperança para poder viver esse Encantado Sonho. Uma grande BeijocaFallen Angel
(http://www.sonhosencantados.blogs.sapo.pt)
(mailto:mac_marisa@yahoo.com.br)


De Anónimo a 8 de Fevereiro de 2006 às 09:18
O teu olhar é nítido como um girassol.
Tem o costume de andar pelas estrelas olhando para a direita e para a esquerda e, de vez em quando, olhando para trás...
E o que vê a cada momento é aquilo que nunca antes tinha visto, e tu sabes dar por isso muito bem...
Sabes ter o pasmo essencial que tem uma criança se, ao nascer, reparasse que nascera deveras...
Sinto-te nascida a cada momento para a eterna novidade do Mundo...
Tu não tens filosofia: tens sentidos...
Se falas na Natureza não é porque saibas o que ela é, mas porque a amas, e ama-la por isso.
Porque quem ama nunca sabe o que ama nem sabe por que ama, nem o que é amar...
Amar é a eterna inocência, e a única inocência é não pensar... (adaptação de poema original de Alberto Caeiro).
C.
</a>
(mailto:c@inbox.com)


De Anónimo a 8 de Fevereiro de 2006 às 09:07
Madalena: Encontrei seu blog por acaso, ao fazer uma pesquisa de imagens pelo google, e fiquei encantada com seus textos e com as imagens. Você demonstra ser uma pessoa extremamente sensível, de bom gosto e abençoada. Parabéns pela beleza contida em seu blog, que só pode vir de um interior iluminado. Abraços e sucesso para você!Josi
</a>
(mailto:josianemz@yahoo.com.br)


De Anónimo a 7 de Fevereiro de 2006 às 23:04
A vida na sua incoerência acaba sempre por pintar de verde a paisagem que os olhos daqueles que sempre tiveram consigo a Fé de um dia serem compensados pela dôr dos espinhos que a vida lhes cravou na alma e no coração, enxergam. Apesar do castanho prevaleçer muitas vezes, sobre o semblante de quem desejou alcançar a paz e sossego, o verde esperança acabará por imperar, iluminando e transformando o cinzentismo da vida, transbordando-a num azul celeste de felicidade. Mesmo que estejamos perdidos nas côres garridas e pesadas, devemos sempre acreditar que cedo o destino, nos trará as côres claras e leves que merecemos, e que a vida nos escondeu. Muitas felicidades para a Madalena, e que o verde esperança possa manter-se sempre no seu olhar. [Dominio dos Anjos]HumbertotheWizard
(http://CeudosAnjos.Blogs.Sapo.pt)
(mailto:HumbertotheWizard@Hotmail.Com)


De Anónimo a 7 de Fevereiro de 2006 às 20:51
a música é linda!que esses olhos vejam sempre o lado bom das coisas, o mundo e lindo!vive cada dia bem!
gostei do blog!beijinho!Andreia
(http://www.andreiacatlicious.blogspot.com)
(mailto:catlicious_21@hotmail.com)


De Anónimo a 7 de Fevereiro de 2006 às 11:56
O importante é deixar que o verde da esperança permaneça sempre no olhar... e não deixar que os sonhos permaneçam no pôr-do-sol, num fim de mundo... olhas os teus sonhos, bonitos e salpicados das cores do sol tardio, contempla-os... mas depois corre e busca-os, persegue-os e só assim eles serão realmente teus... Um beijinho, Kita.Kita
(http://azuleazul.blogs.sapo.pt/)
(mailto:tricia20@iol.pt)


Comentar post