Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2005

Dá-me a tua mão...

 


Dá-me a tua mão.


Deixa que a minha solidão
prolongue mais a tua
- para aqui os dois de mãos dadas
nas noites estreladas,
a ver os fantasmas a dançar na lua.


Dá-me a tua mão,companheira,
até o Abismo da Ternura Derradeira.


José Gomes Ferreira


Escrito da alma: Madalena às 18:49
| Comenta aqui
1 comentário:
De Anónimo a 18 de Fevereiro de 2005 às 21:57
O companheirismo autêntico deve ser valorizado nos momentos tristes e amargos de um dos companheiros. O díficil é estar presente nas horas infelizes que o companheiro, seja de amizade ou paixão, deva ser o parceiro que incentiva, motiva, aconchega e encoraja o outro que está embaixo. Porque partilhar os momentos de felicidade, não é tarefa díficil.Humberto
</a>
(mailto:Bladerunnerhe@hotmail.com)


Comentar post