Quarta-feira, 30 de Julho de 2008

Todas as dores...

 

Acolho no peito, por querer ou talvez não, todas as dores que me ferem a alma… Não fujo de nenhuma, pelo contrario, volta atrás nos meus passos para a sentir de novo… Ela deixa de ser a mesma, ganha uma nova cor, outra intensidade…mas não muda nunca de lugar.

 

Algumas ganham o titulo de saudade, outras de mágoa… Numas encontro o amor calado e noutras ainda o desespero de tanto amar!

 

Vão perguntar porque guardo todas elas, porque volto onde elas me feriram. A resposta pode não ter lógica mas é a única que tenho para dar…

 

Somo todas as dores em meu peito, pequenas e grandes, leves e profundas porque um dia, elas serão uma única só em meu coração e de tão intensa, por doer tanto assim, deixará de ser dor, para não ser mais nada…

 

A dor será apenas um sentido vazio, oco das emoções que a causou…

 


Escrito da alma: Madalena às 10:29
| Comenta aqui | ver comentários (2)
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Paz é tudo o que peço...

 

Mergulha no silêncio, e desfruta dele, pois por breves momentos podes vir a perder, e reencontrar-te no meio da confusão, e corres o perigo de sofrer, ou desiludir.
Levada pelo momento, não consegui parar, enfeitiçaste-me.
Nem pensei se estaria certo, ou errado.
Nenhum de nos acordou naquele momento.
De certa forma, foi por breves momentos um silêncio, e um ponto de abrigo.
Alguém nos controlava, alguém descobriu um mistério nosso, algo inevitável.
Aperto, dor, nervos.
Só te pedia para que não me deixasses sozinha naquele momento.
Perdi-me tanto.
O que tenho de fazer agora? Perguntava eu, num momento confuso.
Não me deixes chorar outra vez, não permitas que grite perante a minha vida.
Eram bastantes emoções ao mesmo tempo.
Fugi, refugiei-me.
Sem saber o que me esperava.
Foi a primeira vez que caminhei em frente sem a tua mão a apertar a minha.
Desapontei pessoas que só queriam o melhor para e de mim.
Foi-se.
É distância de ambas as partes, quando mais necessito não estão cá.
Já nem dá para entender quem esta errado ou certo.
As palavras refugiam-se e é mais importante discutir do que compreender.
Era cada dia, era cada drama.
Era uma história tão bonita.
Está prestes a romper-se.
Não quero mesmo.
Eu nunca me senti tão bem, nunca passei por isto, está a ser tão bom.
As pessoas perguntam como é possível?
Nem eu sei.
Não sei o que dizer, eu só quero humm…
Seguir-te.
Perder-me nos teus braços, ou até mesmo mostrar o quanto te amo.
Vás para onde fores, deixas-me seguir-te?
Quero ter tempo para viver, quero ter tempo de liberdade…
Quero sair, caminhar pela estrada fora sem ponto de chegada nem horas certas.
Não quero mais tempo certo, não vale a pena, tenho experiencia.
Explosão, descoberta, terror, susto, grito.
Há sempre algo que não se esconde, há sempre algo que surge para nos despistar.
Senti que algo não estava bem.
Pensei que tudo se resolvesse, pensei que precisava de um sinal.
Precisava mesmo.
Ritmo, dá ritmo na minha vida, faz a batida.
Eu escrevo a letra.
Paz é tudo o que peço, amor é tudo o que tenho.
Tenho, faço para não o perder.
Quero continuar a obter confiança.
Quero continuar a viver sem problemas, sinto falta disso, de paz.
Certas palavras, certos momentos, certos carinhos…
Meras lágrimas, meras curiosidades, mera magoa…
Faz parte.
O que nos atormentou, ultrapassamos.
Queria tantas vezes que me olhasses, em certos momentos.
Em momentos como os que me deito a chorar, como os que me sinto mal por dentro.
Mas no fundo, que me percebas.
Fico indignada com certas coisas.
Quando se gosta tanto, porque é que há tantas barreiras?
Eu não quis magoar ninguém, prometo.
Desculpem.
Tantas vezes estive para chorar ao olhar-te nos olhos.
Desculpa pelas vezes que me refugiei…
Desculpa pelas vezes em que fingi estar bem.
Desculpa por coisas que não te revelei.
Cabelos ao vento, olhar prendido no teu, uma manifestação de carinho, um reflexo de felicidade, lábios já secos, o esquecimento de tudo e todos, apenas um só.
Tenho a certeza que vai tudo correr bem, que vai tudo ser meu, que tudo vai estar do meu lado, a meu favor.
Vida.
Peço a quem leu este texto, para pensar bem na vida que está a levar, e nunca tenha a ideia que eu tive, nunca desista, lutar pelos sonhos é a única opção para ser feliz.
Este texto foi feito ao som da rádio rfm, com o objectivo de me libertar e fazer entender que há coisas na vida pelas quais vale a pena lutar.
Leticia ^^
 

Escrito da alma: Madalena às 22:30
| Comenta aqui | ver comentários (1)
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

Lamento...

Há dias em que eu gostava de viver numa ilusão, num sonho onde ainda existe esperança. Viver uma mentira onde tudo fosse possível, em que tudo seria perfeito…

 

Mas eu sei que não se vive de histórias de encantar mas sim de verdades e de realidade.

 

Muitas vezes levantei os pés do chão, ganhei asas nas doces fantasias que eu decifrava nas entrelinhas. Muitas vezes vesti-me de magia em momentos só meus onde tudo era perfeito, e mesmo que houvesse dor, ela era tão doce como a saudade.

 

Passei tempos infinitos moldando sorrisos, enfeitando os dias de cores alegres e fazendo das mais tristes, noites de harmonia entre estrelas e o luar. Construí castelos com as palavras… vivi neles as mais belas aventuras…e desventuras…

 

Há dias em que a verdade dói demais, em que ela dilacera a alma com sua razão. Não queria ver essa verdade tão crua e tão isenta de feitiços mas foi a única que me deste…

Não queria descobrir que estavas certo mas sim continuar nas minhas verdades tão absolutas e tão minhas…

 

Mas tens razão… Não olhamos com olhos de ver e muitas vezes procuramos no horizonte aquilo que está na praia aos nossos pés…

 

Não te vou agradecer tu única verdade…nem te culpar por me teres roubado todas as ilusões… Vou apenas deixar o tempo cobrir minha alma com o bálsamo do esquecimento…

 


Escrito da alma: Madalena às 18:13
| Comenta aqui | ver comentários (2)
Quarta-feira, 2 de Julho de 2008

Vives em minha saudade...

Tentei escrever o que o meu coração sente, mas não fui capaz. As palavras nasciam escuras, sem as cores que tu davas aos dias, sem o som cristalino de tuas gargalhadas tão gostosas.

 

Não quero pintar minha saudade com a escuridão da noite, nem com o negro da dor. Quero que elas tenham teu sorriso, tuas brincadeiras marotas e toda a tua alegria. Foste riso em nossa vida durante teus 21 anos.

 

Por isso, hoje deixo as saudades correr nas minhas veias e encher minha alma daquilo que sempre nos deste… amor!

 

Continuas vivo em nós… No coração e nos pensamentos de todos nós, que te amamos.

Deixo um beijo e uma lágrima em cada estrela para que te sejam entregues Freddy, meu sobrinho.

 

Sinto tanto tua falta…

 


Escrito da alma: Madalena às 17:55
| Comenta aqui | ver comentários (9)

.Meu selo...


fg.jpg


.Meu outro blog


Image Hosted by ImageShack.us

.Outro Blog Meu


Image Hosted by picoodle.com

.posts recentes

. Uma outra vida...

. Minha despedida...

. Sou Outono...

. A oitava maravilha do "no...

. Liberta-me, mas...fica...

. Todas as dores...

. Paz é tudo o que peço...

. Lamento...

. Vives em minha saudade...

. Sou o que sou...

. Chuva...

. Eu...

. Lagrimas...

. Em tuas mãos...

. Mãe...

. Beija-me...

. É teu...

. Asas de sentimento...

. Desisto...

. Beijo-te suavemente...

.arquivos

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.Meu contador de visitas...