Segunda-feira, 29 de Agosto de 2005

...

acho_que_estou_precisando_carinho.jpg


Há dias assim…


Tudo parece triste e não há sorrisos para alegrar a alma.


Talvez um beijo… sim um beijo! Um carinho feito numa carícia muito suave ao tocar de leve os lábios, um tocar quase sem tocar…


Talvez o traçar de uma linha imaginada no rosto, usando as pontas dos dedos como se fosse um pintor descobrindo seu modelo…


Talvez um abraço… O calor de um abraço no qual encontramos um porto de abrigo. Onde o coração deixa seu ritmo para bater ao compasso de outro coração…


 


Há dias assim…


Em que apenas desejamos um carinho…


 


Escrito da alma: Madalena às 17:41
| Comenta aqui | ver comentários (33)
Quarta-feira, 24 de Agosto de 2005

Procuro...

anjoamor.JPG


Procuro o sentido que a vida tem, mas não o encontro!
Todos os caminhos conduzem ao mesmo beco sem saída, a solidão e ao silêncio. Ruas desertas de emoção… Por onde andam os sentidos que não despertam, que se calam e se escondem por detrás de um sorriso fingido?


Procuro no dia, na luz quente do sol, que aquece os corações, a resposta ao frio que gela minha alma. Mas o calor que me envolve, apenas queima meus sentidos, destrói meus sonhos… Não pertenço a luz mas sim a sombra…


Procuro na noite, no luar que se banha no mar e nas estrelas que iluminam meu sono, a magia que um dia encontrei, numas palavras doces, escritas em letra pequenina, na orla de meu coração…


Procuro pelas ondas do mar, nas suas marés, nas águas salgadas, o porquê destas lágrimas, que caiem silenciosa, sem ninguém dar por elas…


Procuro na alma a razão da dor e da tristeza, mas está vazia e nada tem para dizer…
Procuro em tua saudade, em teu carinho… procuro em ti e encontro-me…


Encontro-me perdida em tuas mãos, sem vida, deslizando por entre teus dedos e só agora entendo porquê! Porque minha alma é tua e o sentido que a vida tem, é simplesmente viver em ti!


Escrito da alma: Madalena às 17:12
| Comenta aqui | ver comentários (23)
Sexta-feira, 19 de Agosto de 2005

Soneto da separação...

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
 
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.
 
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.
 
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.


    Vinícius de Moraes


Um dia tudo, um dia nada… Hoje um sorriso, amanhã uma lágrima!
Nunca acordamos igual porque nada permanece do mesmo jeito…
Não vale a pena guardar a magia de ontem porque hoje é apenas mais uma ilusão…


Escrito da alma: Madalena às 17:30
| Comenta aqui | ver comentários (21)
Quarta-feira, 17 de Agosto de 2005

Escrevi...

pr-lagrima.jpg


Escrevi durante horas…


Espalhei pela folha branca de minha vida, mil palavras tingidas de preto, palavras que o arco-íris se recusou a pintar de luz. Palavras sem sentido, feitas de gritos que ninguém ouve…
Palavras como a emoção que são cantadas em todas as canções, melodias de desejos, de sonhos…Palavras de esperança sem esperança… Palavras de carinho, cheias de ternura e sorrisos, escritas para beijar quem as lê, nem que por um breve momento.
Nada estava bem. Apaguei tudo e de novo escrevi.
O branco de novo aparecia salpicado de uma só cor, triste, sem graça. Então fui desistindo, uma por uma, das palavras mais bonitas. Estavam no sítio errado. Não eram minhas!
Apaguei cada sentimento e deixei apenas as palavras vazias, cor de minha alma. Mas mesmo assim ainda não me sentia bem. Olhava para elas e sentia bem no fundo do coração a dor de as sentir… Não as quero mais!
Quando olhei de novo, a folha branca continuava branca, cheia de um vazio enorme… Apenas um pontinho lá estava esquecido… mas era apenas uma pequena lágrima…


Escrito da alma: Madalena às 02:47
| Comenta aqui | ver comentários (14)
Sexta-feira, 12 de Agosto de 2005

...

asas2.JPG


Em bicos de pé, para não te acordar desse sonho doce onde te encontro, rodopio ao ritmo compassado de teu coração. O silêncio da noite enche-se de melodias, e as sombras tornam-se brancas, nos contornos de meu corpo que se aconchega ao teu. Sou apenas uma pequena brisa que te acaricia a pele, no roçar de minha alma em teu sono.


Passos de uma dança que te tocam de leve, passeando por contornos imaginados e linhas invisíveis. Movimentos lentos de ternura que enchem o coração de poesia ao fazer de ti meu mais belo poema. Escrevo-te nas páginas brancas de meu seu… em cada palavra te invento de novo… Envolvo-te em meu abraço, protegendo-te dos pesadelos e de tudo o que te magoa, aconchegando-te em minhas asas.


Esta noite fico contigo. As estrelas diminuem o seu brilho, criando na noite uma luz ténua, suave… Olho teu rosto e memorizo cada traço teu. Velo teu sono e só te deixarei nos primeiros raios de sol, quando a vida me chamar de volta para uma realidade sem ti. Está noite farei parte de ti, presa nesse sonho onde não me encontro… Sonho que simplesmente é o meu!


Escrito da alma: Madalena às 13:36
| Comenta aqui | ver comentários (28)
Quarta-feira, 10 de Agosto de 2005

Só...

 


 


anjo017.jpg


 


A noite caiu, silenciosa, como caiem as folhas no Outono, sem um único som de desespero ou de dor. Foi afastando a luz do sol e hoje, nem o luar colocou para iluminar a terra e guiar meus passos. Caiu a noite, devagarinho sem eu dar por ela….


A escuridão envolveu-me no seu manto escuro e frio. Prendeu-me nas muralhas da solidão e do silêncio. Sinto um arrepio na alma, um sentimento de pânico aperta-me um coração, estou só!
Sinto-me vazia… Está noite sou apenas nada… Alma vazia, despejada de emoção… Só o coração teima em bater, dizendo a cada instante para não ter medo. Coração que ainda sonha com o teu beijo… Um beijo doce com sabor de desejo na pele…


Olho o céu pela janela, procuro estrelas mas, não vejo nenhuma.
Está tudo tão calmo, tão parado…
A natureza pareça suster a respiração na espera de algum acontecimento…
Cheira a chuva… Ouvi falar em trovoada…
Quem dera que fosse mesmo. Ver a natureza revoltada, enchendo a noite de trovões, quebrando o silencio que me faz companhia e rasgando o céu com raios, iluminando as sombras que me prendem num abraço apertado, seria bem melhor que esta quietude onde meu coração bate quase sem bater…


Espreito o relógio, até aí o tempo está imóvel. Os ponteiros esqueceram o tic-tac e partilham a mesma ausência na qual me deixaram…Sinto-me parada no tempo! Sinto-me tão só esta noite… Até as sombras projectadas nas paredes perderam a magia de se transformarem… Que estranho abismo onde me deixo cair, sem dor, sem esperança…Apenas um nada!!


Escrito da alma: Madalena às 02:50
| Comenta aqui | ver comentários (19)
Sábado, 6 de Agosto de 2005

...

sopro1.JPG


 Horas profundas, lentas e caladas,
Feitas de beijos sensuais e ardentes,
De noites de volúpia, noites quentes
Onde há risos de virgens desmaiadas...


Oiço as olaias rindo desgrenhadas...
Tombam astros em fogo, astros dementes,
E do luar os beijos languescentes
São pedaços de prata plas estradas...


Os meus lábios são brancos como lagos...
Os meus braços são leves como afagos.
Vestiu-os o luar de sedas puras...


Sou chama e neve branca e misteriosa...
E sou, talvez, na noite voluptuosa,
Ó meu Poeta, o beijo que procuras!


 (Florbela Espanca)


"E sou, talvez, na noite voluptuosa, ó meu poeta, o beijo que procuras!"


Escrito da alma: Madalena às 22:45
| Comenta aqui | ver comentários (27)
Terça-feira, 2 de Agosto de 2005

...

anjo007.jpg

 


Busquei no horizonte uma forma nova de ser feliz ....
Nada achei !!! Busquei na meia-noite uma maneira suave de sonhar ...
Não adormeci !!! Busquei então, onde a razão não pode alcançar, fui dentro de mim, bem profundo
E quase sem querer te descobri por entre letras mágicas e risos escondidos ...
Te achei. 


 


Anónimo(retirado da net)


 


 


Por vezes a magia nasce do nada, cresce em silencio, faz a alma sonhar e torna a dor mais pequena…


Por vezes vem de onde menos se espera, quando já nada mais importa…


Por vezes é palavra, carinho e até simplesmente sorriso…


Mas…


Por vezes é lágrima, saudade e ausência…


Por vezes machuca o coração e deixa o sonho inacabado na noite que se torna fria e silenciosa…


A magia está em mim…


Nas palavras que guardo, nos sorrisos que lembro… Está na saudade de um momento, na ternura de um abraço…


Sim… encontrei a magia em mim, porque é aí que está tudo o que me faz feliz!


 


Escrito da alma: Madalena às 17:45
| Comenta aqui | ver comentários (28)

.Meu selo...


fg.jpg


.Meu outro blog


Image Hosted by ImageShack.us

.Outro Blog Meu


Image Hosted by picoodle.com

.posts recentes

. Uma outra vida...

. Minha despedida...

. Sou Outono...

. A oitava maravilha do "no...

. Liberta-me, mas...fica...

. Todas as dores...

. Paz é tudo o que peço...

. Lamento...

. Vives em minha saudade...

. Sou o que sou...

. Chuva...

. Eu...

. Lagrimas...

. Em tuas mãos...

. Mãe...

. Beija-me...

. É teu...

. Asas de sentimento...

. Desisto...

. Beijo-te suavemente...

.arquivos

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.Meu contador de visitas...