Terça-feira, 7 de Março de 2006

...

desejo_so_top2-2.jpg


“ O amor que sinto por você é algo tão grande que é capaz de contagiar o universo, mas ao mesmo tempo é tão pequeno que cabe inteiro só no meu coração.” (André Ferreira)


A palavra Amor, tem muitas definições e no entanto nenhuma explicação. Podemos passar uma vida a procura de razões e de porquês que a única coisa que vamos descobrir é exactamente aquilo que se sente: um conjunto de emoções que nos deixam completamente perdidos.


E perdida ando eu, vagueando pelos sentidos que tu despertas. Encontrando em cada emoção minha razão de ser, em cada sentimento, mais uma vontade de viver... Viver e sentir... e amar!! Já não procuro respostas, nem sequer coloco as perguntas. Apenas sinto... E em cada pensamento que me leva junto de ti, me descubro e de novo me perco...


A palavra Amor ganha e perde o sentido... Transforma-se a cada instante... É ternura, carinho...é desejo, paixão... Pode nascer de um sorriso, crescer numa caricia e encontrar a sua essência numa entrega total. Ao descobri-la, perdi minha alma. Fiquei prisioneira em tua pele, no teu cheiro e  viciada na doçura de teu beijo, no sabor de teus lábios...


E assim, descubro que o Amor, tem muitas definições mas um único sentir...


Escrito da alma: Madalena às 09:30
| Comenta aqui
5 comentários:
De Anónimo a 11 de Março de 2006 às 21:34
Desculpa, ñ sei o que acontece, mas o texto é publicado mais do que uma vez!Mary
</a>
(mailto:inesmanuel1992@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Março de 2006 às 21:15
Poema de Mulher

Que mulher nunca teve
Um sutiã meio furado,
Um tio meio tarado
Ou um amigo meio viado?


Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan prá dormir?


Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?


Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?


Que mulher nunca penou
Prá ter a perna depilada,
Prá aturar uma empregada
Ou prá trabalhar menstruada?


Que mulher nunca acordou
Com um desconhecido ao lado,
Com o cabelo desgrenhado
Ou com o travesseiro babado?


Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?


Que mulher nunca apertou
O pé no sapato prá caber,
A barriga prá emagrecer
Ou um ursinho prá não enlouquecer?


Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?



Este poema, publiquei-o na minha caixinha há precisamente um ano atrás.
Encontrei-o num blog brasileiro (Nós Adoramos Sapos) também ele escrito apenas por mulheres, mas que infelizmente já não existe. . .=(


No entanto, continua a ser um poema actual, e digam lá as Mulheres que aqui chegam que não concordam com o que é dito? Nem que se seja em apenas um dos pontos ;)Mary
</a>
(mailto:inesmanuel1992@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Março de 2006 às 21:15
Poema de Mulher

Que mulher nunca teve
Um sutiã meio furado,
Um tio meio tarado
Ou um amigo meio viado?


Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan prá dormir?


Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?


Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?


Que mulher nunca penou
Prá ter a perna depilada,
Prá aturar uma empregada
Ou prá trabalhar menstruada?


Que mulher nunca acordou
Com um desconhecido ao lado,
Com o cabelo desgrenhado
Ou com o travesseiro babado?


Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?


Que mulher nunca apertou
O pé no sapato prá caber,
A barriga prá emagrecer
Ou um ursinho prá não enlouquecer?


Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?



Este poema, publiquei-o na minha caixinha há precisamente um ano atrás.
Encontrei-o num blog brasileiro (Nós Adoramos Sapos) também ele escrito apenas por mulheres, mas que infelizmente já não existe. . .=(


No entanto, continua a ser um poema actual, e digam lá as Mulheres que aqui chegam que não concordam com o que é dito? Nem que se seja em apenas um dos pontos ;)Mary
</a>
(mailto:inesmanuel1992@hotmail.com)


De Anónimo a 10 de Março de 2006 às 13:16
Madalena desculpa o atraso nos comentários, mas hoje vou redimir-me disso. Como tu dizes realmente a palavra amor encerra um mundo de sensações, de mil essências que fazem inebriar a alma. Eu acho que cada um de nós sente o amor de forma diferente, mas no essencial amor é sempre um toque de magia no nosso coração. O amor é um dos mais lindos sentimentos que podemos conhecer. Não há maneira de definir o amor , se há eu não a encontrei ainda, mas creio que o amor só se sente não se explica.Gonçalo
</a>
(mailto:gcausasdelei@msn.com)


De Anónimo a 9 de Março de 2006 às 19:15
Amor é mais que uma palavra, tu sabes e eu sei. Amor é mais que um sentimento, tu sabes e eu sei.
Amor é mais que uma emoção, tu sabes e eu sei.
Amor é mais que um toque, um cheiro, um gosto, tu sabes e eu sei.
Amor é mais que o perto e o longe, tu sabes e eu sei.
Amor é mais que o querer e que o poder, tu sabes e eu sei. Amor é saber que se ama!!! (o "fogo que arde sem se ver" deixamos para os outros descobrirem o que é). Escorro-me por ti e deixo que o meu escorrer seja teu... Beijo-teC.
</a>
(mailto:c@inbox.com)


Comentar post