Quarta-feira, 22 de Março de 2006

Não sou poeta...

escrever.jpg


Não sou poeta...
As palavras nascem na alma procurando inspiração no coração e quando finalmente encontram a magia que procuram, são ditadas nas pontas dos dedos, pelo pensamento. Quando ditas ao vento, são sementes de cores que encontram por vezes um cantinho doce onde virá a florescer um sorriso... mas quando ditas a alguém em particular, essa semente transporta carinho e dela, pode nascer amor e amizade...


Não sou poeta...
Nas palavras que aqui pinto, deixo sempre parte de minha alma, bocadinhos de um coração que bate baixinho e por vezes descompassado. Não são palavras difíceis ou complicadas de entender. São simples como simples eu sou. São apenas sons que grito em silêncio e que por vezes, por uma magia qualquer, são ouvidos e sentidos!


Não sou poeta...
Não, não sou poeta... não sei fazer rimas nem quadras. Nem sei sequer usar as palavras. Apenas deixo-as nascer e crescer em folhas brancas. Há dias, em que elas ganham a cor do arco-íris e transformam tudo, outros há, em que elas não conseguem libertarem-se das sombras da noite e tudo permanece cinzento!


Não sou poeta...
Nem nunca o serei...apenas escrevo os sentidos que um coração inventa, e as sensações que despertam... Escrevo lagrimas e sorrisos...


Não sou poeta, mas escrevo em cada palavra, o mesmo amor que o poeta sente!!


Escrito da alma: Madalena às 13:28
| Comenta aqui
13 comentários:
De Anónimo a 28 de Março de 2006 às 21:43
"Posso ñ ver-te por fora, mas imagino como sejas por dentro"!
Acredita que sinto a alma, esteja ela longe ou perto. Pois todas elas têm uma energia, que sempre que quisermos podemos sentir...Mary
</a>
(mailto:inesmanuel1992@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Março de 2006 às 23:15
Dizes não ser poeta mas, tu encantas e cantas as palavras como se de um poeta fossem...E os sentimentos que na alma vagueiam, no papel para sempre ficam, quando tu...que dizes 'Não sou poeta' escreves!! Escreves lindamente, PARABÉNS!!Vou adicionar-te nos meus blogs!!:DPaulinha
(http://pauinhaa.blogspot.com)
(mailto:pauinhaa@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Março de 2006 às 16:21
Não te consideras poeta mas escreves deliciosamente.Gostei do teu poema, parabéns!
Bjsdocerebelde
(http://Docerebelde.blogs.sapo.pt)
(mailto:docerebelde59@hotmail.com)


De Anónimo a 26 de Março de 2006 às 23:52
Textos como os teus fazem bem à alma, principalmente a pessoas como eu que vivem, provavelmente demasiado, a dura e crua realidade dos nossos dias.
Obrigado pela visita.
Cpts.JT
(http://desgovernos.blogs.sapo.pt/)
(mailto:Cunhaabel@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Março de 2006 às 22:40
Olá, amiga. Continuas a escrever tão bem. Podes não ser poeta, mas escreves como um verdadeiro poeta, sentes como um poeta e vives com olhar de poeta: um olhar diferente, esperançoso, algo triste, observador e dorido. Não és poeta, mas as tuas palaras são autêntica poesia. Pena que as palavras não sejam mais alegres. Mas se fossem, provávelmente, não sentirias tanto como um poeta no sentido literal do termo. (Quanto a mim, tens razão: sou uma mocho galdéria...ha, ha, ha)mocho
(http://barrocodomocho.blogs.sapo.pt)
(mailto:mvilamoura@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Março de 2006 às 17:22
Podes não ser poeta mas que tens mais jeito para a coisa do que muitos poetas que andam p`ra aí, disso não tenho dúvida. Óh minha ruivinha, tu não me fiques loira, por amor do Deus-Castor, que aqui o Star-Beaver gosta de ti é assim, diferente do normal. Loiras há muitas por aí...é como os poetas, aqueles, sabes...ehe, ehe, ehe!!! Olha que ando em mudanças. Da próxima vez que me visitares, já tens que ir até àguas americanas porque o Bin-Sapen já era. Um dia destes, canto-te ao ouvido, tu acordas mal-disposta e depois há chatice...pois ,pois! Chuac!Castor
(http://diquedocastor.blogspot.com)
(mailto:diquedocastor01@sapo.pt)


De Anónimo a 23 de Março de 2006 às 19:53
Ser poeta é um estado de alma, não é preciso rimar palavras para ser poeta. A poesia nasce na alma e expressa-se em rimas ou em prosa. As melhores poesias não rimam, mas tu és poeta sim. Fazes poesias de palavras lindas, de frases roubadas ao sonho. Os teus textos são como pérolas rosadas exibidas num estojo de cetim negro, onde a sua cintilação suave se acentua. Tu és poeta sim, e como os poetas tens a liberdade do improviso, a espontaneidade da alma. As palavras dos poetas são universais, pertencem a todos, mas um coração de poeta é selvagem e jamais será pertença de ninguém. Belo texto Madalena. ParabésGonçalo
</a>
(mailto:gcausasdelei@msn.com)


De Anónimo a 23 de Março de 2006 às 10:23
Quando somos poetas não amamos... mortificamos.
Quando somos poetas não saboreamos... percepcionamos.
Quando somos poetas não rimos... alegramo-nos.
Quando somos poetas não temos... suplicamos.
Quando somos poetas não somos... existimos.
Quando somos poetas não vivemos... morremos.
Ainda bem que não és poeta!!! Ainda bem que és minha...C
</a>
(mailto:c@inbox.com)


De Anónimo a 22 de Março de 2006 às 17:37
Olá, tu k não és Poeta....
Ainda k assim o digas custa a acreditar pois as palavras ditas por ti, qualquer um deve tocar...
Beijo deste "tocado"!!!!Bruno
</a>
(mailto:kidgordo@hotmail.com)


De Juhh a 1 de Março de 2007 às 23:13
Lindos seus poeminhaass ! :]
Ameii
Só queria te pedir uma coisinha ...
Posso colocar alguns deles em comunidades do orkut ? Mas claro, coloco que foi você que escreveu ... não iria colocar anônimo, o poema tem um dono, mas gostaria de saber seus nome artístico então. Tudo bem ? Obrigada até então ! :D

Bjoo*


De Madalena a 2 de Março de 2007 às 09:38
Olá Juhh...

Obrigada pela tua visita e pelas tuas palavras... Podes sim usar os textos que quiseres e o nome é mesmo Madalena... Beijo


Comentar post